Buscar
  • Eduardo

Agilizando a edição de sua gravação


O velho ditado diz que "Tempo é Dinheiro" e isso é a pura verdade na nossa área, pois uma das principais variáveis para a elaboração de um orçamento é justamente a duração do trabalho.


Há uma regra geral que é adotada por muitos profissionais, que diz que o tempo total para a produção de uma locução é cerca de três a quatro vezes o tempo do material final, ou seja, se estou produzindo a locução para um vídeo de 10 minutos, o tempo total desde que começo a gravar até o final da edição vá durar em torno de 40 a 50 minutos. Isso vale para todos? Lógico que não! Tem pessoas que farão em bem menos tempo. Pegue o exemplo de profissionais de locução que estão no mercado há anos e fazem a gravação de um miolo de oferta, ou uma URA ou até a chamada de um comercial dentro do carro ou no closet do hotel, em uma tacada só, com um microfone USB e o celular. O material é enviado cru para a agência ou produtora, sem quase nenhum erro e está acabado. Por outro lado, há quem demore muito mais que isso, quem sabe duas horas para produzir os tais 10 minutos de locução. Isso pode ocorrer devido a necessidade de sincronismo com um vídeo, palavras complexas ou diversas paradas devido a erros de leitura, ruídos, etc.


O importante é termos ciência destes fatores e tentar otimizá-los o máximo possível, pois do contrário, vai ter que deixar mais espaço na agenda e eventualmente perder trabalhos que não pode aceitar pois não conseguiria cumprir o prazo.


Então, a produtividade no processo de gravação/edição de uma locução ou audiolivro ou qualquer outro produto em áudio ou até em vídeo é de extrema importância e depende de vários fatores, entre eles:

  • Experiência naquela atividade

  • Familiaridade com o tema

  • Preparação para a gravação

  • Fluência na leitura

  • Equipamentos com o mínimo de confiabilidade

  • Qualidade do seu produto entregue (ruídos, tiques), etc

Não há dúvida que com tempo e prática, você passa a ter resultados melhores e mais rapidamente. Bom, isso não é novidade e acontece com qualquer pessoa e qualquer coisa com a qual se dispõe a fazer certo? Temos que estar cientes disso e aceitar o processo de aprendizado. No entanto há uma série de pequenas coisas que podem ajudar no processo como um todo. São pequenos truques que os profissionais vão sentindo a necessidade e implementando em seu processo de produção e é sobre isso que quero falar hoje.


A gravação de uma peça é algo bem divertido e inspirador para mim, já a edição, nem sempre. Veja, não estou dizendo que nunca é divertido, estou dizendo que às vezes, pois tem materiais que são bem legais de editar como animações, etc. De qualquer forma, temos que minimizar o tempo da edição. Os atalhos de teclado que sua DAW dispõe para as principais ferramentas que você usa como cortar, copiar e colar são fundamentais, mas tem diversas outras como zoom horizontal e vertical, ferramentas de desenhar a onda, etc também são bem úteis e agilizam sobremaneira o processo de edição. Caso você disponha de um mouse com botões configuráveis, este também é um recurso muito bom e melhor até que as teclas de atalho em minha opinião. Para ver um pouco mais sobre este tema, veja o artigo que escrevi sobre Ergonomia no Estúdio - Mouse.


Agora, um outro recurso que quero mostrar aqui é usado durante a gravação. Você já deve ter se deparado com aquela linguiçona de onda de áudio quando vai para a sua mesa para editar. Nesse momento o único recurso que tem é ouvir tudo do início ao final e se uma frase você repetiu duas vezes, a outra 4, a outra 6, você só vai descobrir e ir se lembrando enquanto ouve o material. E é nesse ponto que quero introduzir o assunto deste artigo. Finalmente né!!


Caso você esteja gravando e tem uma pessoa na frente do seu computador, é possível ir incluindo marcas enquanto grava, como teclar "M" no adobe audition o que cria automaticamente um marcador no seu arquivo. Você também pode fazer isso caso estiver gravando, porém olhar o texto e olhar o teclado para encontrar a tecla, não é a forma mais prática. Mas vamos considerar que você esteja sozinho na sua cabine gravando e depois irá editar seu material. E enquanto grava, vai cometendo erros ou até mesmo encontra uma outra interpretação para a mesma frase e quer decidir depois. Neste caso o que pode fazer para encontrar mais fácil depois? Tem gente que recomenda dar uma pausa um pouco mais longa. Isso realmente marca o texto com um vazio fácil de encontrar. Eu recomendo essa prática também para que você respire e retome o texto com a mesma emoção, ritmo e volume, pois às vezes a ansiedade bate e mal acaba de cometer o erro e já emenda a frase correta o que pode gerar pontos de corte sujos ou uma gravação com volume diferente, afobação na voz, etc. Além da pausa, podemos inserir um ruído. Isso mesmo. Um ruído. Eu por um bom tempo batia palma próximo ao microfone, o que gera um pico bem definido e até clipado, mas muito fácil de encontrar na gravação. Um outro recurso, que tomei conhecimento com o norte americano Bill Dewees, que aliás tem muitos vídeos legais no YouTube, foi o de um tipo de estalar de língua, ou uma escapada de ar súbita que se faz pelo canto da boca e que gera o mesmo pico, mas achei meio difícil de praticar, pois já não chega o texto que pode ter os seus trava-linguas, ainda tenho que torcer a boca e a língua, criar uma pressão negativa na boca e soltar o estalo!!. Não é prático para mim. Já recentemente, tomei conhecimento de um outro recurso muito legal e, apensar de não se de graça como a palma ou o estalo, mas é bem barato, uns R$ 17,00. Trata-se de um Dog Clicker ou Clic de adestramento para cães, como o da foto abaixo.

A foto de um pequeno equipamento preto com uma chapa de metal dentro que quando pressionado, produz um som seco e agudo
Dog Clicker ou Clicker de adestramento para cáes

Com certeza os cães devem se incomodar com o som seco que este carinha faz e que é suficientemente alto para o que precisamos.


Você pode encontrar em qualquer Pet Shop ou pela internet com valores até mais em conta.


Eu tirei o anelzinho que vem para prender em uma corrente ou chaveiro, pois gera um ruído metálico indesejável para a gravação e deixo ele sobre uma pequena bancada ao lado do microfone. Quando vou gravar, é só mante-lo na mão e ir clicando ao seu bel prazer conforme a necessidade.

Anexei abaixo um vídeo de uma gravação recente mostrando como fica a onda e também o som do clic para que você saiba do que estou falando.

Como eu decidi fazer este vídeo apenas após a edição terminada, você não notará a repetição da frase anterior na sequência do clic como fiz durante a gravação, porém como eu também uso o clic para separar takes diferentes, você consegue ouvir o clic bem nítido.


Note que no vídeo, você ouve e vê três clics. Eu uso 3 para separar takes diferentes e um clic quando cometo um erro. Há pessoas que usam uma codificação mais completa, como um clic para erro, dois para versão diferente da mesma frase, e assim vai. Você pode criar o seu critério.


Cada clic é composto de dois sons, pois tem o vai e volta da chapinha. Note também na direita da imagem a escala de dB e o VU abaixo que enquanto minha voz está na média de -12 a -15 dB, o clic está clipando no 0dB, criando marcas bem definidas para facilitar a edição depois. Há que se reforçar que aqui o mais importante é o auxílio visual das marcas e não o áudio ou seu volume, que aliás é bem incômodo. Detalhe: eu não aproximo o clicker próximo ao microfone, eu o seguro na mão e vou gesticulando conforme o texto me puxa e aperto o danado quando preciso.


Quando for editar e chega em uma parte que teve um erro por exemplo, é só você ir até a próxima parte após o último clic daquele trecho, pois se você foi consistente no seu uso, após o último clic, provavelmente o texto fluiu corretamente. Eu particularmente gosto de ouvir algumas partes rejeitadas, pois elas às vezes tem parte da interpretação que quero usar, mas isso depende de cada um.


Conclusão:


É um artigo curto em que não ensino nada de especial para sua técnica, mas garanto que ele tem algumas dicas e insights que poderão te ajudar no processo de gravação e edição.


Gostou? Não gostou? Tem alguma sugestão ou crítica? Ótimo, deixe seu comentário que com certeza irei aproveitá-lo da melhor forma possível.


Até lá e boa gravação.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo