Viesearch - Life powered search
top of page
Buscar
  • Foto do escritorEduardo

10 dicas para melhorar sua dicção e entonação

Se você é um locutor publicitário iniciante e quer aprimorar suas habilidades de locução, confira estas 10 dicas práticas para melhorar sua dicção e entonação:


1- Procurar um especialista:


Se você sente que tem alguma dificuldade para pronunciar alguma letra em específico, como r, s ou l; ou dificuldade na respiração; ou muita sibilância, que é o som exagerado do “s” (sssssss); ou qualquer dificuldade de dicção que você ou alguém possa ter notado em você, a primeira coisa a fazer é procurar um Fonoaudiólogo. Existem especialistas voltados à voz profissional e que lhe auxiliarão, por meio de exercícios práticos, em algumas sessões, a solucionar ou amenizar o problema existente.



Exercícios de aquecimento:


Os exercícios de aquecimento, ao contrário do que você pode imaginar, não são apenas exercícios para aquecimento das cordas vocais, mas contemplam exercícios para:


2- Aquecimento físico


Auxilia a eliminar zonas de tensão, principalmente na região do pescoço, ombros e face, que por sua vez é onde estão localizados os órgãos responsáveis pela articulação, como a boca, língua, laringe e a músculos da face. O aquecimento físico, que não é intenso, auxilia também a despertar o corpo, pois durante a gravação, de forma a ter uma boa interpretação, você fará movimentos com o corpo e para isso ele precisa estar preparado.


3- Exercícios respiratórios


A respiração é fundamental para uma boa locução. Aprender a controlar a respiração ajuda a ter mais controle sobre a voz e a evitar problemas de saúde vocal. Além disso, estes exercícios auxiliam o locutor a ganhar maior capacidade respiratória que será utilizada na pronúncia de frases mais longas sem a necessidade de respiração intermediária ou a tomada de ar ruidosa. Isso é muito mais comum do que se imagina, pois são frequentes os textos com sentenças longas e que demandam a leitura em um só fôlego e sem pausas.


Existem diversas técnicas de respiração que podem ser usadas durante a fala, como a respiração diafragmática e a respiração intercostal.


A respiração diafragmática é uma técnica em que a inspiração é feita pelo diafragma e a expiração é controlada pela musculatura abdominal. Essa técnica ajuda a manter uma respiração mais profunda e controlada durante a fala.


Já a respiração intercostal é uma técnica em que a inspiração é feita pelas costelas e a expiração é controlada também pela musculatura abdominal. Essa técnica ajuda a manter uma respiração mais superficial, mas controlada durante a fala.


Independentemente da técnica utilizada, é importante lembrar que a respiração deve ser natural e controlada. Uma boa técnica de respiração ajuda a evitar problemas de saúde vocal, como o cansaço vocal e a rouquidão.


4- Exercícios de articulação


Estes exercícios são responsáveis por aquecer e destravar o nosso mecanismo de articulação das palavras como língua, lábios e músculos da face. Estes exercícios são compostos de sílabas com combinações de letras como “R”, “L” e “S”; e as vogais “A, É, Ê, I, Ó, Ô e U” e que podem gerar certo esforço para serem pronunciadas corretamente; até trava-línguas, que são aquelas frases como “o peito do pé do pai do Pedro é preto...”. Existem inúmeros trava-línguas e cada um pega um tipo de articulação diferente. Não subestime esses exercícios, pois naqueles que você tiver mais dificuldade, serão os que mais está precisando. Estes exercícios podem ser desenvolvidos livremente ou com o auxílio de algum objeto como rolha, caneta, palito de sorvete, etc. Basicamente estes acessórios gerarão uma dificuldade adicional na pronúncia e por consequência um maior esforço de sua parte na articulação e quando você colocar de lado o acessório e pronunciar as palavras, você notará que elas sairão mais facilmente, mais claras, nítidas. No entanto, o mal uso destes itens podem agravar um problema existente, portanto, novamente, indico que procure um especialista e não saia fazendo qualquer coisa que achar na internet.


Observação sobre os exercícios mencionados nos itens 2, 3 e 4 acima:


Além de ajudarem a melhorar a dicção, a entonação e a respiração, eles auxiliam a prevenir problemas de saúde vocal. É importante lembrar que a voz é uma ferramenta de trabalho, por isso é preciso cuidar dela.


Para ter resultados efetivos, é importante realizar esses exercícios com a orientação de um profissional, seja um fonoaudiólogo ou um professor de locução, que além de lhe fornecerem uma lista dos exercícios mais adequados, eles poderão identificar se você tem algum problema e orientará a procurar um especialista.


Dada a importância destes aquecimentos, eu não vou entrar na área destes especialistas e recomendar exercícios. Sim eu tenho diversos, porém cada um tem uma orientação específica de como deve ser feito e além disso, é importante que você tenha o acompanhamento de alguém experiente à sua frente até que ganhe a consciência de como deve desenvolvê-los corretamente.


Tem muita gente que acha essa parte dos aquecimentos chata e quer sair gravando, porém volto a afirmar, que são de extrema importância, tanto para a saúde vocal quanto para preparar sua ferramenta para o trabalho, que pode ser de apenas 10 minutos ou pode durar horas. O que eu costumo fazer é o seguinte: Logo cedo se eu tenho que arrumar algo na cozinha, ou preparar meu café, ou até mesmo levar minha filha na escol, eu tento encaixar esse aquecimento neste período que de certa forma estou livre vocalmente, mas não faça de qualquer jeito, faça consciente do que está fazendo!


A preocupação com o uso correto da voz é de extrema importância, pois seu uso errado pode causar calos vocais, sangramentos, etc que podem tirá-lo da atividade definitivamente ou afastá-lo temporariamente para um tratamento mais longo ou até cirurgia. Portanto leve à sério.


5- Use técnicas de relaxamento antes de gravar


O estresse pode afetar sua locução, então antes de gravar, caso esteja tenso, pratique técnicas de relaxamento, como yoga ou meditação, para acalmar sua mente e corpo.


Como já foi mencionado acima, a tensão na região dos ombros e pescoço, podem afetar a emissão da voz com qualidade, e essas regiões são as primeiras a serem afetadas quando estiver estressado.


Um outro ponto importante é que se não estiver com a mente saudável, ou seja, se estiver preocupado, tenso, irritado ou outro sentimento negativo, isso afetará totalmente a sua interpretação, seja pela indisposição para gravar naquele momento, seja pelo estado de espírito em si.


Essas técnicas não são longas e complexas. Podem ser exercícios de respiração profunda e concentrada por uns 10 minutos e que já lhe trarão para um estado mental mais equilibrado.


6- Conheça sua ferramenta de trabalho: sua voz


Como eu já escrevi em um artigo no blog intitulado "Minha voz muda ao longo do dia. E agora?", é importante você conhecer a sua ferramenta de trabalho e as condições do ambiente, alimentação e saúde que podem te prejudicar ou auxiliar.


Imagine que você trabalha com um equipamento, algo mecânico ou elétrico e a cada momento que você o utiliza, ele reage de uma forma diferente e não confiável. Ora trabalha por alguns minutos e desliga sem motivos, ora trabalha por 4 horas direto, mas com rápidas interrupções. Qual a confiança que você terá com esse equipamento para pegar um trabalho longo e que precisa ser entregue em determinado prazo? Não será muita, asseguro. E nossa voz depende de um aparato também mecânico, que são as cordas vocais. Você precisa saber o que as afeta negativamente e o que as deixa tinindo, de modo a poder contar com elas quando precisar. Além disso, lembre-se que as cordas vocais, apesar de terem uma função mecânica, elas não um órgão de nosso corpo e portanto sujeitas à idade, intempéries, estado de saúde, emocional, etc.


7- Conheça o roteiro


Leia e entenda o roteiro antes de gravar. Isso é importante para identificar o seguinte:


- Palavras que tenha dificuldade em pronunciar,

- Palavras e nomes estrangeiros. Nestes casos é bom grifá-los, pesquisar antes a pronúncia correta e treinar repetindo várias vezes para que a pronúncia se torne fluída dentro da frase e soe da forma mais natural possível. Caso não encontre a pronúncia correta, procure o seu cliente e peça-lhe um arquivo de áudio, pode ser uma gravação no celular mesmo, mas que o auxiliará a ler corretamente o script e não passar vergonha ou ter que refazer depois.


- Localização das pausas e entonação necessária para cada parte do texto. A pontuação pode estar correta na norma escrita e ela atuará como uma direção para você, mas podem não ser obrigatórias na leitura. É muito comum incluir-se vírgulas durante a leitura, pois a pausa naquele momento criará o suspense ou a ênfase necessária. Por outro lado, omitir vírgulas existentes, podem melhorar a fluidez do texto.


- Saber o objetivo da locução para adaptar sua entonação e ritmo de acordo.


8- Pratique a leitura em voz alta


A prática regular da leitura é de extrema importância para o locutor que quer ter uma boa produtividade em sua função pelos seguintes motivos:


- Aquilo que você pratica regularmente ganha fluidez e torna-se orgânico. Portanto, para se fazer uma gravação conversada por exemplo, você precisará ter uma velocidade de leitura condizente com o que seria um ritmo de fala normal, do contrário a sua gravação vai soar como lida.


- Praticar a leitura voz alta. Se você está lendo um livro para estudo, você quer capturar a informação do texto e fazê-lo de forma rápida, e neste caso a leitura silenciosa é a melhor coisa, pois você não tem que articular as palavras. Por outro lado, se você quer se desenvolver como locutor, a leitura em voz alta pode ajudá-lo a melhorar sua dicção e entonação, uma vez que seu ouvido será seu crítico. Escolha textos variados, como notícias, livros e revistas, para praticar a pronúncia de palavras e frases.


- A leitura frequente cria um mecanismo muito interessante em nosso cérebro que é o fato de que ao mesmo tempo que você está lendo e pronunciando uma palavra, seus olhos, por meio da visão periférica, estão capturando o que está algumas poucas palavras a frente, seja pontuação ou palavras. Além deste mecanismo, você se habitua com as estruturas habituais das frases. Com isso, você começa a antecipar entonações adequadas em um texto, mesmo que esteja lendo ele pela primeira vez. Isso é um dos fatores mais importantes em termos de produtividade e para minimizar erros durante a gravação. Pode não ser significativo na gravação de um off de 30 segundos que você leu 10 vezes e marcou o texto antes de gravar, mas imagine na gravação de um áudio livro. Você não conseguirá fazer isso de forma alguma e terá que gravar de primeira, sem muitas interrupções.


9- Ouça locuções publicitárias profissionais


Ouça locuções publicitárias de outros profissionais e preste atenção na entonação, ritmo e pausas. Tente identificar o que o locutor está fazendo de forma eficaz e aplique essas técnicas em suas próprias gravações. É muito mais do que copiar, não é isso que estou sugerindo, mas como existem inúmeras combinações de interpretações para o mesmo texto, vão existir as mais e as menos eficazes.

A seguinte frase pode ser lida de formas diferentes, cada vez com a ênfase na palavra em caixa alta, o que dará diferentes entendimentos para a intenção:


- O QUE você foi fazer sozinha naquele lugar?

- o que VOCÊ foi fazer sozinha naquele lugar?

- o que você foi fazer SOZINHA naquele lugar?

- o que você foi fazer sozinha NAQUELE LUGAR?


Pode parecer banal, mas a leitura desatenta desta frase pode trazer significados diferentes do que o cliente pretendia para seu texto.


Eu mesmo, antes de uma mentoria, fazia as perguntas terminando as frases para cima, mais ou menos na musicalidade do norte americano, mas em Português, o que soa melhor é enfatizar a pergunta no seu início e terminar “reto”, não para cima. E isso você só aprende com alguém te orientando e apontando ou você ouvindo e repetindo.


Naturalmente você guardará essas referências e lembrará delas na próxima vez que for gravar. Isso é estudo!


10- Conheça seu público-alvo e fale com clareza


Estou combinando estes dois itens que aparentemente são bem diferentes, mas que na verdade tem uma relação muito interessante. A questão de falar com clareza com articulação já foi abordada na parte dos exercícios no início do texto. O que quero abordar aqui é a questão de clareza no que tange a algumas liberdades que se tem para alguns estilos de locução, e para isso é importante conhecer o público alvo e também algumas armadilhas nas quais não podemos cair e que são muito comuns.


Falar com clareza é fundamental para garantir que sua locução seja compreensível. Evite falar muito rápido ou com muita pressa, e certifique-se de articular cada palavra de forma clara e precisa. Quando falamos rapidamente, temos a tendência de fazer elisões com algumas palavras. A elisão é a junção de sílabas omitindo alguma letra ou sílaba.


Exemplo na frase: Cumprir o regulamento de estudo


Se lermos rapidamente e sem cuidado, a leitura soará algo como:


“Cumpriro regulamento djistudo”.


Se for um texto institucional de uma empresa que estará no site do cliente, a rigor, a frase tem que ser lida como foi escrita e soará como:


“Cumprir o regulamento dji estudo”


Ler o “de” como “dji” é aceitável na leitura dita com sotaque neutro.


Outro exemplo: Para ter acesso, clique no link anexo


Em um texto mais descontraído e conversado, você pode ler como:


“Pra ter acesso, cliqui no link anexo”


Já em um texto mais sério como em um institucional, seria melhor assim:


“Para ter acesso, cliqui no link anexo”


A contração do “para” para “pra” é bem comum em um texto mais conversado.


Outra liberdade muito comum é o “r” no final de algumas palavras.


Exemplo: Se comprar um carro, assegure-se de fazer um seguro.


Se estiver fazendo um texto mais sério e formal, garanta que está lendo todos os “r”s das palavras “comprar” e “fazer”. Não precisar ser um “r” muito enfatizado tremendo a ponta da língua, mas sutil e que seja percebido.


Já se for uma leitura mais descontraída como em uma URA humanizada por exemplo, é permitido e até desejável que suprima os “r”s, pois isso tem um apelo de proximidade ao cliente, não soando pedante. Então ficaria assim:


“Se for comprá um carro, assegure-se de fazê um seguro”


Por mais que pareça errado, ainda soa elegante no contexto. Há pessoas que pronunciam um “r” muito, mas muito suave nestes casos, não eliminando 100%, mas é tão sutil que quase não é percebido.


Por outro lado, há alguns erros que não podemos cometer de forma alguma. Exemplos:


- Usar o “gerundo” no lugar do gerúndio, ou seja, usar o “ano”, “eno” e “ino” no lugar de “ando”, “endo” e “indo” como em “comprando”, “fazendo” e “cumprindo”. É muito comum na pressa ler “comprano”, “fazeno” e “cumprino”. A não ser que seja uma gravação caricata ou com intenção regional, onde o erro é requerido para o propósito da peça, do contrário, atenção, pois passam bem desapercebidos.


- Outro erro, mas agora bem sutil e que pode passar sem ser notado é o final de palavras terminadas geralmente em “o” em finais de frase. É muito comum que o “o” no final da palavra seja pronunciado como um “u” meio soproso como na frase: Ele não entrou em campo.


É muito comum que na leitura soe como “ Ele não entrou em camp(u)” sendo que a ausência do (u) soa quase como se o “p” fosse mudo na palavra.

Neste caso não é algo tão crítico, pois a leitura não foi errada, porém é muito mais elegante e soa melhor se esse “o”, mesmo com o som de “u” fosse um pouquinho mais sonoro, não destacado, do contrário vai soar muito estranho, mas que dê a impressão que tem uma vogal lá.


Enfim, há uma série de outros detalhes com respeito à pronúncia e ouvir referências (dica 9) é muito importante por isso. Você vai conhecer o que soa bem e o que não soa e o que está sendo praticado e aceito no mercado, que por sua vez também evolui e muda com o passar dos anos.


Conclusão:

A qualidade de sua locução passa pelos cuidados com sua ferramenta de trabalho, pelo seu estado mental, pelo seu estudo, referências, conhecimento do texto e do público-alvo e pela atenção na pronúncia. Não são poucas coisas e todas devem ser feitas tanto diariamente para manutenção quanto no exato momento da gravação, ou seja, você precisa ter a atenção voltada para seu trabalho como locutor profissional. Não adianta levar de forma despretensiosa e descuidada, pois isso vai degradar de alguma forma o produto final.


Acima de tudo, lembre-se de que a prática é fundamental para melhorar sua locução.


Utilize essas dicas para aprimorar suas habilidades e considere procurar um especialista para ajudá-la (lo) a desenvolver ainda mais suas habilidades vocais. Com dedicação e prática, você pode se tornar um locutor de sucesso!

225 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

ความคิดเห็น


Logo do Whats app
bottom of page