Viesearch - Life powered search
top of page
Buscar
  • Foto do escritorEduardo

10 dicas para um portfólio de sucesso

Atualizado: 9 de abr. de 2023


Se você está começando na área de locução publicitária, sabe da importância de ter um portfólio bem elaborado para se destacar no mercado. O portfólio é a maneira de apresentar seu trabalho a clientes em potencial. Neste artigo, vou compartilhar 10 dicas para ajudá-lo a construir um portfólio de locução de sucesso.


1- Seja seletivo com as suas gravações


Considere que você tem apenas de 1min a 1:30 min para convencer alguém de que você é a pessoa certa a ser contratada para a gravação de um comercial. Portanto você precisa ser muito seletivo com as peças que escolherá para a montagem de seu portfólio de locução. Então não inclua tudo o que você já gravou, apenas as melhores peças. Escolha gravações que destaquem a sua voz; mostrem sua versatilidade, tanto de estilo quanto de entonações, e que sejam relevantes para o mercado atual, considerando estilo, projeção da voz, trilha sonora, etc.


Aqui vale uma observação que gera muita discussão no meio profissional dos locutores publicitários: Posso regravar uma peça de uma marca conhecida de banco por exemplo? Bem, as opiniões se dividem, mas a que ganha é a que você não deveria utilizar uma peça já gravada por alguém.

Pessoas de peso na área de produção e locução têm argumentos prós e contra para estas situações: Por um lado, alguns produtores dizem que não há problemas em você utilizar os layouts, o nome dado para as peças já gravadas e divulgadas no mercado para seu benefício. Ninguém vai perder tempo pesquisando quem está utilizando este material, a não ser que você esteja ganhando dinheiro diretamente com essa peça específica, o que é difícil, pois não faz sentido nenhum já que este grande banco, por exemplo, não te contratou! Por outro lado, as pessoas contrárias dizem que você pode ser processado por “plagiar” ou utilizar o texto que alguém foi pago para escrever e produzir. Já vi até locutores indignados por terem ouvido as peças que eles gravaram serem utilizadas para portfólio por alguém desconhecido. Outros alegam que você vai tentar imitar a pessoa que fez o que é ruim ao invés de dar sua própria interpretação. Por fim, alguns dizem que o produtor que ouvir essa peça na sua voz, vai trazer imediatamente a voz original do comercial como referência e aí você pode estar se prejudicando, pois dificilmente você fará com a mesma qualidade ou superior ao locutor original.


Em minha opinião, nem tanto ao céu e nem tanto à terra. Não acho que devemos utilizar indiscriminadamente textos criados por alguém para fazer nosso demo. Somos mais inteligentes que isso, podemos alterar o nome do produto, da marca, algumas características do produto ou serviço e utilizando a estrutura do texto por exemplo. Temos também a inteligência artificial (IA) que pode nos gerar em segundos um bom texto para gravarmos e que não vai contra nenhum outro já existente.


Como um exemplo, enquanto escrevo este artigo, pedi para um site conhecido de IA criar um texto publicitário de 30 segundos, sobre um colírio que aumenta o brilho de seus olhos e deixa você mais atraente aos olhos da pessoa amada e veja o que ele gerou:


[Voz suave e sedutora]


Sabe aquela sensação de olhar nos olhos da pessoa amada e ver um brilho especial? Agora você pode ter esse brilho todos os dias com o novo colírio BrilhoMax. Com uma fórmula exclusiva, ele realça o brilho natural dos seus olhos, deixando você ainda mais atraente aos olhos da pessoa que você ama. Experimente o novo colírio BrilhoMax e descubra o brilho intenso que seus olhos podem ter. BrilhoMax, o colírio que realça sua beleza natural.

Imagem criada por IA

Note que ele gerou um texto com 76 palavras, bem adequado aos 30 seg e inclusive deu uma breve direção sobre o tom de voz a ser utilizado, algo que não pedi. Então, sem desculpas, dá para você ter textos bem criativos sem a necessidade de ficar com a pulga atrás da orelha com a utilização de peças reais.


2- Organize o seu portfólio de maneira clara e objetiva


Ao construir o seu portfólio, certifique-se de organizá-lo de maneira clara e objetiva. Não vá fazendo de qualquer jeito. Esta dica e a próxima falam sobre isso.


Há profissionais que pedem seu repertório separado por estilo, ou seja, institucional, emocional, narração, etc. Há ainda aqueles que utilizam nomenclaturas bem particulares ao invés destes estilos, como: locutor presente, locutor distanciado, sensível, etc. Já outros não se importam e até preferem que você mande um repertório só, geral e com os diversos estilos.


O importante é você estar preparado para ambas as situações. Em geral, de início, costuma-se criar um portfólio único com diversos estilos. É mais prático até mesmo porquê quem está começando não tem diversas peças do mesmo estilo e se você contratou alguém para montá-lo para você, esta pessoa, via de regra, vai lhe propor gravar uma peça de cada estilo. Porém, com o tempo, conforme vai trabalhando, vá separando a gravação em uma pasta para ir montado o portfólio por estilos.


3- Atenção para a ordem das peças dentro do seu portfólio


Ao montar seu portfólio, é importante pensar em uma ordem lógica e que faça sentido para quem está ouvindo. Comece com suas melhores peças e deixe as “mais fracas” ou aquele estilo que grava com tanta frequência para o final, mas lembre-se de que a ordem também pode depender do tipo de trabalho que você busca.


Por exemplo, se você deseja trabalhar com dublagem de desenhos animados, pode ser interessante começar com uma amostra de sua voz em tom mais infantil, enquanto se deseja trabalhar com locução em comerciais, pode ser mais efetivo começar com uma amostra de sua voz em um estilo mais emocional, que mostre suas emoções e o forte de sua interpretação.


Por que o começo do seu portfólio é tão importante assim? Porque imagine a quantidade de arquivos que um produtor tem que ouvir para um casting diariamente! Após 5 ou 10 segundos ouvindo seu material, ele ou ela já julgará se quer continuar a ouvir o arquivo, pois está atraente e interessante, ou se é monótono e chato e mais do mesmo. Por isso o seu melhor tem que estar no início.


Em resumo, escolha uma ordem lógica que destaque suas habilidades e competências e que seja relevante para o tipo de trabalho que você busca. Lembre-se que seu portfólio é uma ferramenta de marketing pessoal e deve ser adaptado para cada situação e público-alvo.


4- Duração do seu portfólio


Por favor, não passe de 1 min ou 1:30 min! Novamente, o menos é mais aqui!


Não adianta querer juntar um pouco de tudo o que fez porque gosta de tudo, mostrando 7 segundos de cada coisa, colocando dez materiais diferentes, muito de um estilo e pouco de outro. Seu portfólio vai ficar cansativo, dinâmico demais, sem chance da pessoa perceber a continuidade de sua interpretação e consistência no parágrafo e corre o risco de ser descartado logo de início.


Portfólios longos, com mais de 1:30 min podem até ser aceitos em algumas situações como uma narração, áudio livro ou se é um caso muito especial no qual a pessoa é muito boa e tem uma variedade muito boa de material, suficiente para preencher este tempo, sem tornar o demo um tédio.


5- Inclua os estilos que você faz melhor


Institucional, emocional, conversada, paizão, mãezona, varejo, URA, narração, sensual, propaganda política, motivacional, manifesto, caricata, etc. Se você consegue fazer com excelência todos estes estilos, então você deve coloca-los na sua demo. Obviamente que a dica anterior deve ser seguida. Portanto se seu demo ficou mais longo que os 1:30 min, “sacrifique” algumas peças utilizando como critério as que têm uma entonação similar, ou seja, você tem uma peça de locução conversada, mas também tem de URA, que atualmente utiliza muito a locução conversada. Então você pode escolher uma, particularmente a locução conversada na minha opinião. Ou você uma emocional que está muito próxima do manifesto. Novamente, escolha apenas uma. A intenção aqui não é mostrar quantos trabalhos diferentes você fez, mas sim a versatilidade de interpretação, entonações, tipos de vozes e adaptação à situação formal ou informal.


Outra coisa importante é que não se deve atrever a gravar algo que não consegue fazer com naturalidade e que não tenha um domínio razoável. Por exemplo: varejo. Se você não se sente à vontade em fazê-lo, não tem a energia para este estilo, não é o seu portfólio que deve ser usado para aprovar se você é bom ou não nele. Isso é diferente de você não gostar do estilo e fazê-lo bem, neste caso você pode gravá-lo, porque um cliente pode necessitar do estilo, a não ser que você se negue a gravá-lo. Lembre-se, você pode ter à sua frente alguém que goste dos outros estilos menos do varejo e ainda assim te chama para um trabalho, ou pode pegar alguém que ouve e já julga de forma ampla, achando que você teve sorte na gravação dos demais estilos, ou teve direção para as outras peças e essa você se aventurou sozinho e não tem consistência no seu trabalho. As possibilidades de interpretação são diversas. Portanto, não arrisque ser julgado justamente no momento que seu portfólio é ouvido.


6- O demo deve ser produzido ou não?


Essa é outra questão bem polêmica, pois há lugares que querem apenas a sua voz limpa e até sem tratamento nenhum e outros que não se importam em receber a peça completa com música e efeitos.


Na verdade, não tem uma regra. Você vai descobrir na hora do casting, se quem estiver à frente da contratação, especificar que quer apenas o registro de voz. Se não especificar, mande a peça produzida se a tiver, que é o que normalmente recebemos de alguém que monta nosso portfólio.


Se foi você que montou, saiba que há a possibilidade de necessitar de algo diferente do que já possui, portanto, ter a possibilidade de abrir sua sessão e mutar a trilha de música ou ter que incluir um fundo musical, mesmo que não seja o original do comercial e renderizar novamente o áudio é uma possibilidade. Já fiz isso diversas vezes, até para montar algo customizado que me foi solicitado em uma situação.


Agora, caso você tenha gravado para uma produtora que fez a edição e colocou música e efeitos e você só tem a peça final que foi gravada na internet ou rádio, por exemplo, mande a que tem e fique à disposição para gravar algo específico caso o cliente o solicite.


7- Atenção para a qualidade do áudio


A qualidade do áudio é fundamental para quem trabalha com locução publicitária.


Certifique-se de que suas peças estejam gravadas com um áudio de qualidade, sem ruídos ou interferências. A escolha do microfone também é importante, opte por um modelo que atenda às suas necessidades e que ofereça boa captação de som.


Como costumam dizer, menos é mais e isso vale para o tratamento de seu áudio. Se você não sabe mexer com plug-ins de equalização e compressão, não se atreva a testar suas habilidades com seu portfólio. Opte por fazer o básico como a edição de ruídos ou respirações em locais inadequados ou exageradas e aprenda a normalizar seu material para que todas as peças fiquem no mesmo volume e está bom demais. A utilização inadequada de gates, compressores, equalizadores, limiters, supressores de ruído, podem arruinar seu material e você pode nem perceber se seu fone de ouvido ou monitores não forem adequados ou mesmo sua experiência seja insuficiente para notar o dano feito.


E isso nos leva à próxima dica.


8- Considere a ajuda de um profissional


Se você não tem muita prática em gravação e edição de áudio ou não tem um local adequado para a gravação, considere a ajuda de um profissional. Eles podem ajudar a criar um portfólio de locução bem feito e com qualidade profissional. Além disso, podem ajudar na escolha das melhores peças para incluir em seu portfólio e na organização do mesmo.


Portanto, muita atenção! Não vá atrás de qualquer um que tenha um valor interessante, o que, em geral, significa barato! Fale com outras pessoas, de preferência alguém que já esteja no mercado e que trabalhou com este profissional. Do contrário, você corre o risco de trabalhar com alguém que pode prejudicá-lo totalmente. Seja pela escolha das peças, seja na má direção ou crítica das peças que você escolheu e nem pede para você regravar alguma parte, na edição, etc, etc, etc. Será um valor malgasto e que pode até te queimar, pois seu nome vai ficar marcado e associado a um material ruim, de baixa qualidade, para não dizer outra coisa.


9- Mantenha seu portfólio atualizado


Atualize seu portfólio com frequência, incluindo novas peças que tenha produzido e que sejam relevantes para sua carreira. Isso mostra que você está sempre em busca de novas oportunidades e de se atualizar, o que é valorizado pelos clientes e agências.


Outro motivo para esta atualização é que, à medida que o tempo passa, você vai se atualizando, vai aprendendo e vai melhorando a qualidade de seu trabalho. Como consequência disso, você também pode ter gravado para uma marca conhecida e isso torna seu portfólio mais interessante ainda, pois é como se obtivesse um endosso daquela marca. Entenda que não é ser endossado, mas funciona como se fosse, pois quem ouve e reconhece sua voz, imediatamente pensa: “Nossa! Se a marca X contratou essa pessoa, é porque é bom! ”


10- Que formato enviar o meu demo?


Este é outro ponto polêmico, pois não tem uma regra geral.


O que é mais comum é um arquivo MP3, que já é bom o suficiente para ouvir a qualidade do seu áudio, sua interpretação, estilos etc.


No entanto, fique atento ou atenta ao fato que alguns lugares podem não aceitar o arquivo de áudio e preferem um link do seu material postado na nuvem ou sites como o Sound Cloud. Então tenha uma conta gratuita em um site destes para caso haja a necessidade.


Há também a situação de que alguns provedores de e-mail interpretam arquivos como risco de vírus assim como links também podem ser interpretados da mesma forma e assim seu e-mail não chega ao destino.


Então a dica mais importante é: Caso você esteja se comunicando com a produtora ou diretor de casting, pergunte em qual formato e de que forma ele prefere receber, pois pode ser que um arquivo WAV 48KHz e 24 bits seja solicitado, apesar de não ser habitual.

Se por outro lado você está fazendo prospecção, por exemplo, e está enviando seu e-mail para as produtoras, não tem uma recomendação que funcione melhor. Eu já tive problemas com as diferentes formas e o que fiz foi mudar a forma de envio num segundo momento. Deixe-me explicar melhor, pois isso é muito importante. Eu tenho um e-mail no Gmail e meu formato padrão, tem uma assinatura que é formada por uma imagem com meu logo e minha foto, além dos links para minhas redes sociais. Quando é o primeiro e-mail que estou enviando, utilizo esse e-mail padrão e coloco ou o arquivo ou o link da Sound Cloud. Se após um mês ou dois não recebo resposta, elaboro um segundo e-mail mudando a mensagem um pouco, retirando os links e trocando de arquivo para link ou vice-versa e na mensagem menciono que enviei uma mensagem um tempo atrás e que pode ter sido extraviada por algum motivo e por isso estou enviando novamente. Isso dá a chance de a pessoa do outro lado não pensar que estou sendo muito ostensivo na abordagem, já que como não tive resposta, estou simplesmente reenviando.


Então, é uma questão de teste e ficar atento à resposta. Eu tenho uma planilha excel na qual registro os dados do estúdio ou produtora à qual eu fiz contato, a data, e-mail, site, nome da pessoa, se mandei a mensagem direcionada para alguém e um campo de observação do que fiz. Assim, numa próxima vez eu verifico esses dados e a observação e adoto uma estratégia diferente. Em geral, tenho uma resposta, mesmo que seja simplesmente um agradecimento e informando que colocará meu nome no banco de vozes.


Dica adicional:


Não vou listar esta como uma dica, pois é um tanto óbvia e é um pré-requisito na verdade.


Se está montando um portfólio, seja você mesmo ou algum profissional, assegure-se que você tenha condição de gravação adequada para quando for solicitado. Não vá divulgar seu portfólio para as produtoras e só depois ver que não tem como gravar caso seja solicitado para enviar uma amostra de gravação de parte de um texto. Sei que é óbvio, mas acontece. Tão pouco vá começar a adequar seu espaço para gravação depois que começa a prospectar.


Onde está o risco?


Primeiro: Se a acústica e/ou equipamento que usou para a gravação de seu portfólio foi uma e o que você terá para entregar o job depois for outra, isso pode ser extremamente danoso para seu relacionamento profissional com seu cliente. É óbvio que se mandou um portfólio e o cliente aprovou e seu novo estúdio oferece uma qualidade superior, isso pode passar desapercebido ou até surpreender o cliente. Já se for o contrário, você terá problemas.


Segundo: Se não tem prática com a edição e tratamento do seu áudio, procure aprender logo caso opte por gravar e editar seu próprio material. Tem muitos vídeos na internet explicando como operar uma DAW (programa de edição de áudio) e como utilizar os plug-ins. Via de regra, a pessoa que gravou seu demo pode te dar algumas orientações de quais parâmetros utilizou para equalização e compressão e até te passar o padrão (template) se utilizar a mesma DAW. Isso é importante para não entregar um material de qualidade inferior quando pegar o job, o mesmo que foi comentado no item anterior. Se ainda não estiver seguro, opte por gravar em um estúdio que te entregue o arquivo pronto após você gravar no lugar. Você paga a hora do estúdio, mas pelo menos isso pode estar incluso no seu pagamento. O que acontece ainda é você gravar e mandar para alguém tratar o áudio para você. A forma não importa, desde que consiga entregar algo condizente com seu demo.


Terceiro: Ainda na mesma linha que os anteriores, a auto direção é algo bastante complicado de se conseguir. Com a prática, o profissional consegue se encaixar em situações que o colocam em determinado humor, ambiente e condição para ter a interpretação adequada para a gravação. Se seu demo foi gravado com a direção de alguém, em geral quem vai tratar e produzir o demo, não subestime esse profissional, pois as vezes que ele ou ela pediu para você gravar novamente com a intenção diferente, é justamente por causa da direção e sozinho isso é bem mais difícil de obter, não é impossível, mas requer treino, aprendizado, treino, prática, treino, ouvir e se não mencionei ainda, muito treino.


Conclusão:


Seguindo essas dicas, você estará no caminho certo para construir um portfólio de locução publicitária de qualidade, que valorize seu trabalho e atraia novas oportunidades profissionais. Lembre-se de que seu portfólio é sua vitrine, por isso, mantenha-o atualizado, mostrando sempre o seu melhor e sempre em evolução.


Muito obrigado e boa sorte


130 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


Logo do Whats app
bottom of page